Dia do Orgulho LGBTI – Um olhar sobre a Diversidade!

WhatsApp Image 2017-06-29 at 19.53.28

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Diretório Central dos Estudantes deu apoio à realização do evento “Dia do Orgulho LGBTI: Por uma Universidade sem Homofobia”, no auditório da Unir Centro (Porto Velho), no dia 28/06/2017.

O evento foi idealizado pela Pró-reitora de Cultura, Extensão e Assuntos Estudantis (PROCEA), Comunidade Cidadã Livre (CONCIL), Rede Nacional de Pessoas Trans (REDTRANS), Associação de Mulheres Madre Tereza de Calcutá da Amazônia Ocidental (AMATEC) – Mulheres Vivendo com HIV, com o apoio da Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Governo de Rondônia) e a participação do Grupo Gay de Rondônia (GGR) e Porto Diversidade (Prefeitura de Porto Velho).

As atividades foram direcionadas pelas travestis Karem de Oliveira e Renata Evans que falaram sobre algumas dificuldades enfrentadas pelas travestis, por exemplo, em relação aos direitos de uso do nome social, mudança de nome no registro civil, constrangimentos para receber atendimento em unidades de saúde.

A Ordem do Advogados do Brasil esteve presente demonstrando inúmeras ações realizadas pela Comissão da Diversidade Sexual, representada pela presidente Marília Lisboa Benincasa Moro, e os membros Saulo Correia e Deniele Mendonça, que puderam enfatizar o trabalho desenvolvido pela comissão para garantir a atualização dos documentos civis de acordo com identidade de gênero.

Na sequência foram apresentados filmes sobre a Parada Gay em Porto Velho, destacando a sua importância e os desafios de se qualificar um evento que represente a luta pelos direitos da comunidade LGBTI, em detrimento à sua qualificação como evento de folia e carnaval que acaba por repercutir negativamente o evento, e como isso pode ser equilibrado sem desprestigiar a causa principal desse evento, que consiste em fomentar a discussão sobre a diversidade e a garantia de direitos para todos. Também foi apresentado o filme “Orações para Bobby” que nos leva a refletir sobre os efeitos nocivos da falta de discussão sobre a diversidade em nossa sociedade.

Também foram realizados debates destacando a importância da discussão sobre a diversidade dentro da nossa universidade, considerando a necessidade da amplitude dos diálogos no meio acadêmico sobre essa diversidade presente e inegável, a cada dia mais gays, lésbicas, transexuais, travestis, transgêneros, indígenas, brancos e pretos ingressam em nossa universidade.

Cada um traz consigo inúmeros significados sobre essa diversidade existente e colocá-las em par de igualdade é um desafio para a nossa sociedade. Cabe a cada um de nós propormos reflexões sobre as desigualdades sociais decorrentes das diferenças entre as pessoas, que são inúmeras e variadas, de cor, religião, sexualidade, físicas, psicológicas e ideológicas.

Refletir sobre os danos causados pelo preconceito a determinados grupos da sociedade nos leva a pensar no que é preciso ser mudado, como certas atitudes, valores e direitos podem ser ampliados, repelidos ou mudados, para se alcançar um nível de equilíbrio social necessário ao respeito das diferenças e consequente reparo às injustiças sociais ainda resistentes.

A Universidade como um espaço de promoção do conhecimento e produção de saberes é o lugar ideal para iniciarmos estes processos de discussão, nesse sentido o Diretório Central dos Estudantes destaca o quão importante é para nós acadêmicos estar abertos ao diálogo e promover ações que reforcem o combate às diversas formas de preconceito em nossa sociedade.

 

Diego Laércio

Coordenador de Organização

Diretório Central dos Estudantes.

Deixar uma resposta